raquelkogan
o.lhar


2012

 

creator's project são paulo 2012
singularidades 2014
interplay 2015

o.lhar

o.lhar é uma video instalação interativa que constrói uma narrativa em tempo real. Um relatório visual do dia dos interatores que passaram e interagiram com a obra, sendo esta incrementada e modificada através desse processo. Nesta vídeo instalação a interação é simplesmente o olhar se transformando em algo para ser visto. A expectativa de olhar e ver algo é o seu dialogo. O interator olha para dentro de pequenos dispositivos embutidos dispostos no espaço expositivo em diversas alturas, convidando o espectador a espiar, mas ele não vê absolutamente nada. Este olhar é capturado em uma sequência de fotos e é projetado em forma de pequenos vídeos um ao lado do outro no espaço formando assim o conteúdo da obra, que vai sendo modificado a todo momento para adaptar as novas capturas de dados. O dispositivo de captação da imagem tem no seu interior uma interface digital conectada a um computador, que gerencia este enorme banco de dados criado em tempo real.
Um diário visual das pessoas que estiveram e interagiram com a obra.
o.lhar

o.lhar is an interactive video installation that constructs a story in real time. It is a visual report of all the interactors that are passing through and interacting with the installation which is incremented and modified through this process. In this video installation the interaction is simply a look which becomes something to be seen. The expectation of a look and then seeing something is its dialogue. The interactor looks into small built-in devices at various heights in the exposition space, inviting the spectator to take a peek, but he sees absolutely nothing. This look is captured in a sequence of photos and is projected in the form of short videos, one next to the other, forming the content of the installation which is constantly being modified to adapt the new data captured. Inside the image capturing device there is a digital interface connected to a computer, that manages this enormous data bank created in real time.
A visual diary of the people who were there and interacted with the installation.